Bolsonaro pode aumentar idade de acesso a benefício de idosos pobres

Além da reforma da Previdência, que o futuro governo Bolsonaro deve encarar como prioridade, os benefícios assistenciais também estarão na mira do novo ocupante do Palácio do Planalto.

Confira o que saiu na coluna “Painel”, do jornal Folha de S. Paulo, no último dia 18:

“Ao fazer uma apresentação na Câmara em março de 2017, um dos formuladores da equipe econômica de Jair Bolsonaro, o professor Arthur Weintraub, sugeriu restringir o acesso ao benefício assistencial pago pelo governo a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda.”

O periódico continua:

“Conhecido como BPC (Benefício de Prestação Continuada) e igual a um salário mínimo, ele hoje é garantido a partir dos 65 anos. Weintraub sugeriu elevar a idade mínima para 85 anos, reduzindo o valor do benefício a frações para os mais novos.”