Dia Internacional da Mulher terá protesto contra feminicídio e reforma da Previdência

Trabalhadoras, jovens e estudantes voltam às ruas nesta sexta-feira (8), Dia Internacional de Luta das Mulheres, para protestar contra o feminicídio, a reforma da Previdência e para pedir justiça pelo assassinato de Marielle Franco. O protesto será a partir das 16h, na Praça Afonso Pena, em São José dos Campos.

A manifestação está sendo organizada pela Frente Feminista de São José dos Campos, com o apoio de várias entidades. As aposentadas e pensionistas da Admap estarão presentes.

A luta contra o feminicídio (assassinato por motivação de gênero) não é por acaso. Apenas em janeiro foram 126 casos no Brasil. No estado de São Paulo, em média, uma mulher é vítima de feminicídio a cada 60 horas.

A maioria dos assassinos são maridos, namorados ou supostos pretendentes das vítimas – ou seja, pessoas que dividem o ambiente doméstico com elas.

Reforma da Previdência
Outra bandeira deste 8 de Março será a defesa da aposentadoria. A reforma da Previdência proposta pelo governo de Jair Bolsonaro ataca duplamente as mulheres. Um dos principais pontos é o que prevê o mesmo tempo mínimo de contribuição entre trabalhadores e trabalhadoras: 20 anos para benefício proporcional e 40 anos para integral.

Estas regras desconsideram que as mulheres têm de cumprir a tripa jornada – trabalho formal, doméstico e cuidado com os filhos. Desconsidera também que são elas as maiores vítimas do desemprego (a taxa entre as mulheres é de 15%, enquanto entre os homens é de 11%), da alta rotatividade e do trabalho informal.

Justiça para Marielle
Às vésperas do aniversário de um ano do assassinato da vereadora Marielle Franco, a manifestação também vai cobrar apuração e justiça para o caso, que permanece sem qualquer resposta. Assassinada no dia 14 de março de 2018, Marielle tornou-se um símbolo da luta contra a opressão no Brasil.