População quer abertura de processo contra Temer. E os deputados?

Uma pesquisa feita pelo Ibope, divulgada nesta segunda-feira (31), revelou que a imensa maioria da população quer que a Câmara dos Deputados vote a favor da abertura do processo contra o presidente da República, Michel Temer (PMDB). A votação está marcada para quarta-feira (2) no plenário da Casa.

Encomendado pela ONG Avaaz, o levantamento questionou: “o senhor ou senhora acredita que os deputados federais devem votar a favor ou contra abertura do processo que torna o presidente Michel Temer réu por crime de corrupção?”.

O resultado foi:

A favor: 81%
Contra: 14%
Não sabe/não respondeu: 5%

O Ibope ouviu mil pessoas por telefone entre os dias 24 e 26 de julho. O nível de confiança da pesquisa é de 95%, e a margem de erro máxima é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Se o povo brasileiro quer o acolhimento da denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República (PGR), na Câmara dos Deputados já é sentido um forte cheiro de pizza. Com um movimento intenso do Palácio do Planalto para comprar votos, por meio da liberação de cargos e emendas parlamentares, Temer pode se safar da investigação.

Denúncia
Segundo a denúncia da PGR, Temer se valeu do cargo para receber vantagem indevida de R$ 500 mil, oferecida pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS.

Por se tratar de um presidente da República, o Supremo Tribunal Federal (STF) só poderá analisar a denúncia se receber autorização da Câmara. Para isso, ao menos 342 dos 513 deputados terão que votar contra o parecer aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que recomenda a rejeição da denúncia. Para se salvar, Temer precisa de apenas 171 votos a favor.

De acordo com a ONG Contas Abertas, apenas entre junho e julho, o governo liberou R$ 3,4 bilhões em emendas para os deputados federais. O valor, que equivale a 97% das emendas repassadas ao longo de todo ano, deixa claro que Temer está fazendo de tudo para tentar se manter na Presidência.

Ao mesmo tempo que distribui dinheiro para seus aliados, apenas este mês Temer cortou R$ 5,9 bilhões do Orçamento federal.