Preconceituoso, Guedes diz que, com dólar baixo, até empregada ia a Disney

Depois de chamar os servidores públicos de parasitas, na semana passada, o ministro da Economia, Paulo Guedes, fez uma fala preconceituosa contra as empregadas domésticas, nesta quarta-feira, ao defender que dólar mais alto é “bom para todo mundo”.

O principal ministro do governo Bolsonaro afirmou que, com o dólar mais baixo, “todo mundo” estava indo para a Disney, nos Estados Unidos, inclusive “empregada doméstica”.

“O câmbio não está nervoso, (o câmbio) mudou. Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Todo mundo indo para a Disneylândia, empregada doméstica indo para Disneylândia, uma festa danada. Pera aí. Vai passear ali em Foz do Iguaçu, vai passear ali no Nordeste, está cheio de praia bonita. Vai para Cachoeiro do Itapemirim, vai conhecer onde o Roberto Carlos nasceu, vai passear o Brasil, vai conhecer o Brasil. Está cheio de coisa bonita para ver“ disse Guedes, durante evento em Brasília.

O dólar encerrou o dia de ontem vendido a R$ 4,3505 e bateu o quarto recorde consecutivo em relação ao real.

Na lógica preconceituosa do ministro da Economia, é inconcebível que um trabalhador ou trabalhadora doméstica tenha condições de viajar para um dos destinos preferidos da classe média alta brasileira.

Na semana passada, Guedes comparou servidores públicos a parasitas. Depois, chegou a dizer, de forma cínica, que sua frase havia sido tirada de contexto.

“As palavras de Paulo Guedes são detestáveis, mas não surpreendem porque partem de alguém que age como serviçal dos interesses dos banqueiros e grande empresários”, comentou o diretor da Admap Josias de Oliveira Mello.