Salário menor a trabalhadores afeta arrecadação da Previdência

Em vigor desde novembro do ano passado, a reforma trabalhista tem sido responsável pela redução do número de empregos e dos salários de quem continua no mercado. Essa situação impacta diretamente o caixa da Previdência Social, que registrou no mês passado a primeira queda real na arrecadação em 10 meses.

Segundo dados divulgados pela Receita Federal essa semana, o INSS arrecadou R$ 31,818 bilhões em março, valor 0,53% inferior ao do mesmo mês do ano passado, já descontada a inflação.

A última queda da arrecadação da Previdência em termos reais tinha sido em abril do ano passado.

De acordo com o chefe do Centro de Estudos Tributários da Receita Federal, Claudemir Malaquias, a evolução do mercado de trabalho nos últimos meses fez a arrecadação da Previdência parar de crescer.

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho, em fevereiro, a massa salarial cresceu 3,68% em valores nominais em relação a fevereiro do ano passado. No entanto, se considerarmos a inflação do período, houve queda de 0,06% na mesma comparação.

“A política econômica desse governo corrupto está deixando os trabalhadores mais pobres e, ao mesmo tempo, reduzindo a arrecadação da Previdência. Eles é que estão querendo quebrar a Previdência e não as nossas aposentadorias, como foi dito durante a campanha da reforma da Previdência”, afirmou o presidente da Admap, Lauro da Silva.