Temer gastou R$ 110 milhões em propaganda a favor da reforma da Previdência

O governo Temer (MDB) torrou quase R$ 110 milhões em publicidade, de janeiro de 2017 a fevereiro de 2018, na malsucedida tentativa de aprovar a reforma da Previdência. Os dados foram obtidos pelo site Congresso em Foco, por meio da Lei de Acesso à Informação.

Durante esses 14 meses, os gastos somaram exatos R$ 109.973.552,84. Foram mais de 2,3 mil pagamentos únicos, que variaram entre R$ 57,71 e R$ 7,5 milhões.

À época, a propaganda do governo foi muito criticada em virtude de seu tom apelativo. Algumas peças publicitárias faziam uma espécie de ‘terrorismo social’ ao pregar que, se a reforma não passasse, o pagamento das aposentadorias corria risco. O governo também tentou manipular a opinião pública ao repetir o mantra de que a Previdência Social estaria quebrada.

Essa reforma, até bem pouco tempo, era uma obsessão de Temer. A proposta, que impunha idade mínima para se aposentar de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, naufragou em virtude de sua forte rejeição entre os brasileiros e a própria desarticulação do Palácio do Planalto, que gastou muito do seu capital político com o Congresso para livrar o presidente de duas denúncias de corrupção, no ano passado.

O movimento sindical também se mobilizou contra a reforma. No dia 28 de abril de 2017 ocorreu a primeira Greve Geral no país após décadas e o principal eixo da mobilização foi contra as mudanças nas regras da aposentadoria.

“A classe trabalhadora mostrou ao governo e ao Congresso que não aceita o ataque ao direito à aposentadoria. Esse foi um fator importante para conseguirmos barrar essa reforma. Mas a luta deve prosseguir, pois eles não desistiram de mexer em nossos direitos”, afirma o presidente da Admap, Lauro da Silva.

TVs abocanham mais
Das verbas relacionadas à campanha em favor da reforma da Previdência, os pagamentos mais altos foram feitos a emissoras de TV. Os três principais canais, Globo, Record e SBT, respectivamente, receberam mais de R$ 58 milhões juntos, equivalente a 86% dos R$ 66,9 milhões gastos apenas com televisão.

No total, a Globo recebeu R$ 35,9 milhões. Para a Rádio e Televisão Record foram pagos R$ 12,3 milhões e ao SBT, R$ 9,9 milhões.

Entre os principais recebedores também está o Facebook no Brasil, com R$ 3,7 milhões; a TV Bandeirantes, com quase R$ 2 milhões; o grupo Abril, com R$ 1,5 milhão e a Indoor Midia, empresa de mídia externa especializada em conteúdos exibidos em aeroportos e shoppings, que recebeu R$ 1,4 milhão.

O site Congresso em Foco também levantou que parte da verba publicitária sobre a Previdência foi destinada para igrejas. De acordo com o levantamento, um dos 20 CNPJs que receberam as maiores quantias foi a fundação vinculada à igreja Sara Nossa Terra, com R$ 863 mil. A Rede Século 21 e a Rede Vida, ligadas à Igreja Católica, também estão entre as 20 maiores quantias pagas, com R$ 913 mil e R$ 873 mil, respectivamente.