Temer prevê reajuste de apenas R$ 42 para o salário mínimo

O presidente Michel Temer (PMDB) sancionou nesta quarta-feira (9) a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) prevendo um reajuste de 4,5% no salário mínimo, o que representa uma diferença de apenas R$ 42 em relação ao valor vigente. Uma miséria!

De acordo com a proposta do governo, o piso nacional passará dos atuais R$ 937 para R$ 979 no ano que vem.

Segundo o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), o salário mínimo necessário deveria ser de R$ 3.810,36 em julho.

O Dieese calcula o mínimo necessário mensalmente, levando em conta os gastos de uma família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

A metodologia para fazer este cálculo leva em conta justamente o que está na lei e não é cumprido pelos nossos governantes. A Constituição Federal de 1988, no capítulo dos Direitos Sociais, define que o salário mínimo deve cobrir as necessidades vitais básicas do trabalhador e de sua família.

O salário mínimo é referência para quase 50 milhões de brasileiros – entre eles aposentados e pensionistas que recebem o piso.

“Essa proposta de reajuste do salário mínimo é vergonhosa e reforça a necessidade de nos mobilizarmos. É preciso uma nova Greve Geral em defesa dos nossos direitos”, disse o presidente da Admap, Lauro da Silva.